sexta-feira, setembro 02, 2005

!
antes de prosseguir com o post, vocês já podem ter notado a presença de mais um integrante o irmão do Leandro (também postante) André Malkavian. O texto que segue é de mais um colaborador, Felipe Cazelli.

Sejam bem vindos.

Segue texto:

O OPERÁRIO (“The Machinist”)
Um filme de Brad Anderson. Estrelando Christian Bale, Jennifer Jason Leigh, Aitana Sánchez-Gijón, John Sharian e Michel Ironside.

É interessante perceber até que ponto pode chegar a mente humana. Isso você pode notar com a história do filme. O que também se pode notar é até que ponto pode chegar o corpo humano. Ou os dois, já que precisa ser muito louco pra fazer o que fez o Christian Bale ao se preparar pra esse filme.

Quem assistiu Batman Begins pode conseguir reconhecer o Christian como o Bruce Wayne. Pra quem não viu, Christian fez também Reino de Fogo, Psicopata Americano e Shaft. Mesmo assim, o reconhecimento do ator pode ser difícil tendo em vista o fato de ele ter emagrecido um terço de seu peso para o papel de Trevor Reznik, um operário que trabalha no manuseio de máquinas pesadas numa indústria não muito grande e que já há um ano não consegue dormir. Daí surge a explicação para a degradação física do personagem: Bale, que tem 1,88m de altura e pesava 86Kg antes de sua preparação para o papel, emagreceu 28Kg. Agora imaginem alguém com 1,88m de altura pesando 58Kg!!! O ator gostaria de ter emagrecido mais, para chegar aos 50Kg, mas não o fez temendo por sua saúde. Como ele conseguiu? “Simplesmente não comi”, explica Bale.


Christian antes das filmagens

Por conta de sua insônia, Reznik se vê praticamente sem vida social e não só prejudicado fisicamente, mas também mentalmente. Quando provoca um acidente na fábrica por conta de sua dificuldade de concentração no trabalho, sua vida começa a desmoronar no que parece ser um complô contra ele, armado por seus colegas de trabalho. A partir daí o filme entra numa viagem de paranóia e obsessão que deixaria Hitchcock orgulhoso. Parece tudo um grande pesadelo, com um pequeno detalhe: ele está acordado e precisa lutar pra manter sua sanidade.

O curioso é que o filme foi rodado em Barcelona, mas o diretor Brad Anderson (em seu quinto longa) foi tão meticuloso com a mudança da sinalização no trânsito, das placas dos carros e em todo o resto que ao espectador fica sempre a sensação de tudo estar se passando numa cidade do oeste americano. Na Califórnia, talvez. Seguindo uma fotografia que lembra um pouco Clube da Luta e Amnésia, o filme segue na mesma linha desses: um suspense denso, com final surpreendente. Simplesmente imperdível.


O Operário


Exibindo as costelas
¡
!
Valeu Felipe
¡

Antigo postem no outro mais acima :P



0 Comments:

Postar um comentário

<< Home