sexta-feira, abril 04, 2008

PORQUE EU GOSTO DE QUADRINHOS.

5:28 da tarde.
Acabo de por dois encardenados e alguns exemplares avulsos de revistinhas em quadrinhos no balcão da banca de revistas, saco o dinheiro do bolso, a atendente confere os preços e dá um ligeiro sorriso olhando para o computador onde esta os registros das revistas e o total. Ela olha para mim e diz; “Tem que ser muito fã mesmo para gastar 60 reais em revistinhas.”

Saio meio que sem graça da banca olhando para os lados como se tivesse feito algo de errado e caminho em direção ao ponto de ônibus. Lá eu encontro um colega, ex companheiro de trabalho e ele me vê com uma sacolinha contendo os “gibis”. Ele pega a minha sacola todo curioso e pergunta;”É pornô?” (ainda não sei porque todos olham para mim como se eu só pensasse em pornôgrafia), ele continua segurando a sacola e retira uma revista, ele para um instante e me encara esbravejando; “Ah não! Um cara do seu tamanho comprando revistinhas em quadrinhos?! Vira homem rapá!”

Meu ego foi para baixo, fiquei sem graça da mesma forma que se fica quando se é julgado por erro que não cometeu. Entro no ônibus escondendo a sacola com medo de mais alguém notar que, um cara do meu tamanho, ainda lê revistinhas.
Chego em casa, abro a sacola, começo ali mesmo a ler. Aos poucos todo aquele mal estar foi passando, dando lugar a tensão de uma ótima trama, tão bem escrita quanto interpretada pelo desenhista, algo único, uma beleza que no final da leitura me fez soltar um leve suspiro pensando; “Eles não sabem o que estão perdendo....”.

Desde que me dou por gente, acredito que entre os 12 e 13 anos, quando descobrir que ter cérebro é legal, declarei paixão incondicional pelos quadrinhos. Não por ser algo cool, ou por ser coisa de intelectual, diga-se de passagem que, muitos quadrinhos nem chegam próximo a algum nível considerável de intelectualidade, mas eu comecei a gostar dessa arte pelo simples fato de que ela envolve diversas expressões artísticas, sendo elas, noção de fotografia, escrita, desenho e pintura, narrativa cinematográfica e interpretação (de acordo com as expressões que o artista quer passar com o desenho). Mas então, como algo tão rico artisticamente pode ser tão descriminalizado hoje em dia?

Talvez a culpa esteja nas velhas editoras que colocavam os quadrinhos “adultos” no mesmo nível de quadrinhos “infantis” fazendo com que os leitores tivessem a mesma faixa etária, ou talvez, na nossa própria cultura, onde só é artista quando se aparece na televisão em rede nacional, ou posso dizer pior, colocar a culpa na nossa má educação, onde a penalização por ler quadrinhos é vergonhosa, colocando na mente dos estudantes de que a leitura de revistinhas em quadrinhos não tem nenhum valor literário ou muito menos artístico. Isso é triste, para não se dizer, vergonhoso.

Mas buscar solução para isso agora é um tanto que impossível, pelo menos por um curto espaço de tempo, onde a nossa cultura moderna já está num nível tão baixo que para se elevar teria que reestruturar todo o país da lama.
Talvez uma pequena solução seria conosco mesmo, NÓS, os leitores e amantes de quadrinhos, incentivar mesmo de forma heróica, a admiração por essa arte e principalmente incentivar as pessoas que estão ao nosso lado a leitura, nos momentos de descontração com pequenos comentários em porta de boteco, na mesa de jantar, em um bate papo, ou até mesmo, no Blogger. :-)

Então aqui vai minha dica; leia quadrinhos, procure olhar para essas paginas como algo único. Dê você também o real valor a essa arte. Não para se sentir diferente dos demais, e nem mais inteligente que o resto da população, mas para se sentir agraciado de poder contemplar em mãos, uma bela obra de arte....



Ou se não... Aprenda com o Justiceiro como tratar os seres humanos.

Antigo postem no outro mais acima :P



0 Comments:

Postar um comentário

<< Home