segunda-feira, março 30, 2009

Inveja

Às vezes as pessoas dizem algo e você acaba retendo, por um motivo ou outro. Talvez por ter achado a informação interessante, ou porque acredita que aquilo um dia lhe será útil. Certa vez, um amigo fez um comentário que eu achei muito interessante (provavelmente ele nem se lembra mais disso): você pode aprender muito sobre você mesmo prestando atenção em quais momentos a inveja aflora.

Não vou ser hipócrita a ponto de dizer que não sinto inveja. Acho que é um sentimento natural e inerente ao ser humano, sendo despertado em diferentes situações e intensidades em cada indivíduo. E é exatamente nesse o ponto que eu queria chegar: na minha opinião, a inveja está atrelada ao ciúme, só que é direcionada a uma situação ao invés de uma pessoa ou objeto. O que te desperta inveja são as coisas que realmente são importantes pra você (assim como o ciume é despertado por alguém ou algo que você ame). Resumindo: se você quer saber quais os seus verdadeiros valores, preste atenção no que desperta a sua inveja. Isso pode te ajudar a definir melhor o seu caráter e talvez rever alguns conceitos.

Eu nunca senti inveja de alguém que ganha muito dinheiro, tem um carrão ou uma namorada "gostosa". Por outro lado, sinto inveja de pessoas que viajaram a lugares que eu gostaria de conhecer (tipo Machu Picchu, e não Cancun ou Ibiza), que falam muitas línguas ou que são profundos conhecedores de assuntos pelos quais me interesso, como música, cinema e arte em geral.

Antigo postem no outro mais acima :P



0 Comments:

Postar um comentário

<< Home