terça-feira, janeiro 04, 2011

O povo e suas ideias

Na maioria, o povo nem sequer tem consci­ência de sua necessidade de conformar-se. Vive sob a ilusão de seguir suas próprias ideias e inclinações, de ser individualista, de ter chegado a suas opiniões como resultado de seus próprios pensamentos – apenas acontecendo que suas idéias são as mesmas da maioria. O consenso de todos serve como prova da correção de “suas”  ideias. Havendo ainda necessidade de sentir certa individualidade, essa necessidade é satis­feita com relação a diferenças menores; o mono­grama na pasta ou no suéter, a placa com o nome do caixa do banco, o fato de pertencer ao Partido Democrático contra o Republicano, ou a esta as­sociação em vez de aquela, tornam-se expressão de diferenças individuais. O “slogan” de anúncios de que uma coisa “é diferente” demonstra essa necessidade patética de diferença, quando na rea­lidade quase nenhuma resta.
Do livro A Arte de Amar, de Erich Fromm.

Antigo postem no outro mais acima :P



0 Comments:

Postar um comentário

<< Home